CRIANDO CRIANÇAS DE SUCESSO

Uma psicoterapeuta diz que os pais que criam filhos confiantes e mentalmente fortes sempre fazem essas três coisas ao elogiar seus filhos

Jessica VanderWier*

Como pais, queremos que nossos filhos se sintam bem consigo mesmos, então tentamos elogiá-los o máximo possível.

Isso não é necessariamente uma coisa ruim. Pesquisas mostram que elogiar as crianças traz benefícios. Um simples elogio pode gerar autoestima e orgulho. No entanto, depende do tipo de elogio que fazemos, bem como quando e com que frequência.

Como psicoterapeuta que trabalha com pais e filhos, tenho visto repetidamente os efeitos negativos de elogiar excessivamente o talento ou resultado de uma criança (“Isso parece incrível!” “Você é tão bonito!” “Bom trabalho!”).

Mas essas reações curtas e exageradas podem fazer com que as crianças se concentrem apenas em coisas que podem prejudicar sua autoestima. Eles podem sentir ansiedade de desempenho (“Se eu errar a resposta, sou burro”), por exemplo, ou acreditar que são apreciados apenas por sua aparência (“E se as pessoas acharem que fico esquisito com essa camisa? Então eles não vão me amar”).

Então, você deveria elogiar seus filhos? É claro. Mas existem maneiras certas e erradas de elogiar. Aqui está o que os pais de crianças confiantes, automotivadas e mentalmente fortes sempre fazem:

1. Eles elogiam o processo

Quando você elogia o processo (por exemplo, a criança se esforçando em uma tarefa de matemática), em vez do talento ou resultado (por exemplo, a habilidade natural da criança de resolver problemas matemáticos rapidamente), as crianças são mais propensas a desenvolver uma atitude positiva em relação aos desafios futuros .

Na década de 1990, Carol S. Dweck, professora de psicologia na Escola de Graduação em Educação de Stanford, estudou os efeitos desse tipo de elogio. Em um experimento, um grupo de crianças foi informado de que era bem-sucedido porque era inteligente, enquanto o segundo grupo foi informado de que era bem-sucedido porque trabalhava duro.

Quando os dois grupos receberam uma variedade de quebra-cabeças, as crianças do segundo grupo tinham maior probabilidade de escolher um quebra-cabeça mais difícil. Dweck também descobriu que elogiar o processo os tornava mais propensos a se sentirem confiantes em uma tarefa, mesmo que cometessem um erro.

2. Eles nunca fazem disso uma competição

Os pais adoram comparar – não podemos evitar! E, às vezes, até dizemos a nossos filhos que eles são melhores do que os outros (“Você marcou mais gols do que todos os seus companheiros de equipe juntos!”).

Muitas vezes, é feito com boas intenções. Queremos que eles se sintam tão orgulhosos quanto nós e que se sintam motivados para fazer ainda melhor da próxima vez … mas pelos motivos errados.

Não é saudável ficar preso em um círculo vicioso de competição. As comparações sociais podem ensinar as crianças a sempre medir o sucesso com base nos resultados de outras pessoas.

Pior ainda, de acordo com pesquisas, elogiar as crianças em termos de comparação, em alguns casos, pode cultivar o narcisismo, o comportamento de busca de atenção e a falta de valores para o trabalho em equipe.

A melhor abordagem? Incentive-os a comparar seus esforços anteriores com os atuais, em vez de com outras pessoas. Isso os faz adquirir o hábito de mudar seus objetivos de serem melhores do que todos os outros para o autoaperfeiçoamento.

3. Eles usam linguagem observacional

Em vez de dizer: “Isso está ótimo!”, talvez você pode dizer: “Adoro as cores da sua pintura. Conte-me mais sobre por que você as escolheu.” (Isso é o que significa elogiar o processo.)

Outro exemplo: em vez de dizer: “Você parecia um profissional andando de bicicleta!”, pais de crianças motivadas podem dizer algo como: “Você foi tão cuidadoso e focado ao andar de bicicleta. Mesmo quando você cambaleou um pouco e quase caiu, você continuou! Isso foi legal de assistir. ”

Esses ajustes simples de linguagem podem ajudar seus filhos a se sentirem orgulhosos de si mesmos por se esforçarem em algo. Isso também pode deixá-los mais animados para enfrentar coisas mais desafiadoras no futuro.

Por último, é importante criar um ambiente de segurança emocional. Se seu filho falhou em um teste de ortografia, evite dizer que ele deveria ter estudado mais. Em vez disso, pergunte o que eles acham que podem fazer para melhorar na próxima vez.

As crianças precisam saber que podem procurar seus pais não apenas quando fazem algo bem feito, mas também quando estão lutando com uma tarefa ou desafio específico.

* Jessica VanderWier é psicoterapeuta que trabalha principalmente com famílias e crianças. Ela também é a fundadora da Our Mama Village, onde oferece cursos online, coaching personalizado e recursos gratuitos. Jessica mora no Canadá com o marido e as duas filhas. Siga-a no Instagram @OurMamaVillage.

Fonte: Psychotherapist: Parents of mentally strong kids do 3 things when giving praise (cnbc.com) traduzido livremente para o português

Publicado Quinta-feira, 15 de julho das 2021 às 12:03 PM EDT
Atualizado Quinta-feira, 15 de julho de 2021 às 4:18 PM EDT

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s