Inglês no Brasil: estamos na contramão da globalização?

6_1

A BIRD GEI | Consultoria e Gestão de Idiomas tem divulgado anualmente desde 2002 a pesquisa de produtividade e índice de proficiência em inglês no Brasil realizada com funcionários inscritos em cursos patrocinados integralmente ou co-patrocinados por empresas. As pesquisas servem como benchmarking do aprendizado  e permitem que nossos stakeholders façam ajustes e direcionem seus investimentos futuros. Em 2016 divulgamos a 11ª pesquisa e consolidamos os indicadores de proficiência média:

proficiencia_media_idioma_ingles_brasil_pesquisa_birdgei

O que a proficiência média de 47,82/100 significa? Conforme quadro abaixo, esse nível de proficiência média indica um usuário competente que pode estar na banda B1 ou B2 do CEFR – Common European Framework of Reference for Languages – que se tornou o padrão global.

escala_bird_gei_2

A curva da proficiência parece apontar para ciclos de altos e baixos a cada 5 anos. Seria um fator geracional?
Curiosamente em 2011, onde a proficiência fois a mais baixa, publicamos a 7ª pesquisa de produtividade no aprendizado do idioma inglês, especificamente um comparativo entre as gerações X e Y, ou seja, a proficiência dos candidatos em início de carreira que haviam entrado para o programa de idiomas pela primeira vez em 2002 e 2011, respectivamente. Tudo levava a crer que a proficiência média da geração Y seria mais alta que o da X, mas não foi isso o que verificamos (veja o vídeo aqui).

Embora pudesse haver uma possível associação da proficiência com as gerações à medida em que novos profissionais entram no mercado de trabalho, uma ocorrência portanto cíclica, em consulta a vários de nosso gestores parceiros eles mesmos não conseguem corroborar com a tese na prática. Para começar, o turn-over tem se mantido estável nos últimos anos, especialmente nas empresas de menor porte, e o processo de seleção é criterioso a ponto de selecionar candidatos que estejam dispostos a investir em suas carreiras naquela empresa especificamente.

The only thing that interferes with education is my learning.

O Brasil no contexto global
BIRD GEI dispõe de indicadores de proficiência média para o Brasil desde 2003, ao passo que as pesquisas de proficiência globais tiveram início apenas em 2011, caso do EF EPI (Índice de Proficiência em Inglês da EF). Passamos a ter indicadores de outros países após 2011, e selecionamos China e Rússia por fazerem parte dos BRICS, e Dinamarca e Suécia por serem países com uma alta média de proficiência, para fins de comparação com o Brasil:

evolucao_proficiencia_media_2011-2015
Obs.: as metodologias dos testes da BIRD GEI  e da EF EPI são diferentes.

Nos cinco países selecionados houve aumento na proficiência média em inglês desde 2011. Há exceções, é claro. A Noruega, por exemplo, teve queda na proficiência média de 69,09 para 67,83. É preciso levar em conta que são muito diversos os fatores que levam ao aprendizado. O artigo “The International Companies Using only English” recém publicado pela BBC-Capital apresenta os desafios e as mudanças que as empresas internacionais estão enfrentando mundo afora e cita o Brasil como um país na contramão da globalização onde apenas 5% da população tem conhcecimentos do idioma: “...the more affluent in Brazil have had access to English learning for many years. However, overall English proficiency levels in Brazil are still very low, with only around 5% of Brazilians stating they have some knowledge of English…”  É, de fato, um índice muito baixo.

Como isso afeta a todos?
Se você chegou até aqui, provavelmente deve estar se perguntando o que tudo isso tem a agregar para você. Muito! Se você é gestor da área de recrutamento e seleção ou está do outro lado da mesa, em fase transição na carreira, sabe o quanto o bom domínio do inglês faz a diferença. Quantos cargos/funções NÃO pedem o inglês nas empresas atualmente? Se você é gestor de treinamento e desenvolvimento provavelmente já se deparou com profissionais que têm grande domínio técnico, mas muitos deles são preteridos por candidatos com menor conhecimento mas que falam um segundo e até um terceiro idioma. Se você é gestor de RH, e por consequência lida com (desenvolvimento de) capital humano, sabe muito bem como a ausência de proficiência em inglês pode ser um problemão, isso mesmo, no aumentativo; pois afinal, essa não é uma habilidade que se adquire a curto prazo. A falta de proficiência em inglês, que há tempos deixou de ser um segundo idioma para se tornar uma ferramenta de comunicação global (e que, portanto, NÃO PRECISA SER FLUENTE, mas sim preciso – já abordamos a questão do “inglês padrão” no artigo “Em que idioma faríamos o primeiro contato?), pode comprometer muitos de seus esforços, pois as interações nesse idioma e entre diferentes culturas são cada vez maiores.

Benefício vs. Investimento vs. ROI
Foi-se o tempo em que um curso de idiomas era um benefício, ainda que algumas empresas o utilizem dessa forma. Atualmente os modelos de gestão variam de moderados a agressivos onde metas de aprendizagem permitem mensurar o ROI para mostrar o impacto no desenvolvimento do capital humano na organização. Projetos para mensurar o ROI – do clima no trabalho, das iniciativas de redução de falta ao trabalho, soluções para gerenciamento de projetos, desenvolvimento de liderança, para mensurar o Performance Management System, MBA, retenção de funcionários e até mesmo dos programas de idiomas (caso da BIRD GEI) entre outros – estão sendo implementados globalmente. E no Brasil? Pois é, é inegável que a crise pela qual estamos passando afeta sobremaneira os investimentos em desenvolvimento. Os cortes em idiomas, ironicamente devidos a contingências não somente locais, mas sobretudo globais, pode comprometer nossa atuação como player em poucos anos. Resta torcer para que o RH estratégico consiga chegar a um consenso – a co-participação e o co-desenvolvimento – que seja benéfico a todos os interessados. Afinal, você já deve ter visto isso:

Artigo escrito pela  BIRD GEI | Consultoria e Gestão de Idiomas com a colaboração da  NEFI-EB | Cursos de Inglês e Espanhol para empresas

SOBRE A BIRD GEI
A BIRD GEI | Consultoria e Gestão de Idiomas é uma consultoria em gestão de idiomas especializada em soluções gerenciais e ferramentas estratégicas que asseguram às organizações e profissionais foco na execução de suas estratégias de treinamento, desenvolvimento e capacitação em idiomas.

Sobre a NEFI-EB | Cursos de Inglês e Espanhol para empresas
Atuamos na formatação de programas personalizados de inglês, espanhol, francês, italiano e português para estrangeiros rigorosamente ajustados aos interesses profissionais de empresas nacionais e multinacionais. Acreditamos que o sucesso de nossos programas está no foco em nossos clientes.

bird_400

Tel. 55 11 3862 1421
atendimento@bird.com.br
www.bird.com.br

Benchmarking em aquisição de idiomas: dúvidas?
Agradecemos sua visita ao nosso site/blog. Se tiver alguma dúvida sobre nossas soluções de consultoria, de como podemos ajudar sua empresa a alcançar resultados mais eficazes no treinamento em idiomas ou quaisquer dúvidas ou sugestões, basta escrever no comentário abaixo ou solicitar um contato.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s